terça-feira, 1 de outubro de 2013

O que a gente é.




A gente é gente.

A gente é corpo. Todos cagamos e mijamos.
A gente se olha no espelho, vira de bunda e confere a situação da celulite, que aliás, vai sempre muito bem essa safada. 
A gente deseja o carro novo e foda que o amigo comprou.
A gente olha as fotos do casamento e já se imagina lá na igreja, toda de branco, decide o que teria de lindo e o que não teria de brega na nossa festa.
Assalta a geladeira e forja a dieta quando não tem ninguém olhando.
Mente que está mantendo o ritmo na academia pra quem se envolveu no tal do projeto verão (e está na torcida pela gente), não se decepcionar.

A gente é bom.
Sente dó cachorrinho magrelo que todo dia está na esquina de casa, implorando um pão e carinho.
No sinal, dá moedas pro argentino sujinho (porém gato) que faz malabares.
Faz doação, se envolve em causas (anti)sociais, sai pra rua pra protestar por um amontoado de não-sei-o-quê, avisa que a colega saiu do banheiro da balada com o papel grudado no sapato.

A gente é ruim.
Finge que não vê o idoso entrar no ônibus, já que tem gente mais nova sentada e nem se mexe pra ceder o assento.
Faz que não viu aquele vizinho chato, só pra não interagir.
Visualiza e não responde.
Manda indireta. 
Deseja que ele fique impotente, corno e que ela engorde.

A gente é isso  tudo e se suja todo dia na lama da humanidade.
Baba a saliva dos imperfeitos, feitos de carne, ossos e sentimento.
A gente é essa máquina antiga que ninguém quer trocar, porque tem apego.
Ainda não inventaram nenhuma evolução da gente, porque a gente é o que há de mais evoluído no melhor e no pior.
Nenhuma se espécie se supera tanto, todo dia, em cagar com tudo e aparecer com um choro na garganta pedindo perdão.

Ás vezes cansa ser gente, dá vontade de se esconder, faz ode à preguiça de conviver,  jura que vai se relacionar só com árvores, ter um cachorro ou  até ser um, pra justificar tanta cachorrada e amar aquela cadela, quem sabe.
Mas ainda bem que isso passa e o telefone logo toca com uma porção de gentes legais te chamando pra tomar umas.

Ainda bem que a gente muda de ideia toda hora.
Ainda bem que Deus se faz de surdo e ri da gente.

Ainda bem que a gente é gente.

Kamila V.

2 comentários:

  1. 'Nenhuma se espécie se supera tanto, todo dia, em cagar com tudo ' (...)
    Faltou a dedicatória para mim! :*
    Ótimo texto, negas!

    ResponderExcluir
  2. Hahahaha, esqueci de citar, midesgupi!

    ResponderExcluir